Uma das maiores preocupações do profissional que atua na advocacia é garantir que os tributos do seu negócio sejam pagos corretamente e dentro da legislação tributária.

Afinal, sonegar impostos é um crime grave, além de fazer com que o advogado encontre uma série de dificuldades que podem acarretar o pagamento de valores muito mais altos do que a já pesada carga tributária.

Logo, você pode trabalhar 100% dentro da lei sem precisar buscar “meios alternativos” para obter uma redução de impostos.

Existem maneiras para advogados pagarem menos impostos? A resposta é sim!

Por isso, vamos descobrir algumas dicas para garantir que você, advogado, possa economizar com impostos.

1 – Planejamento tributário

Primeiramente, é preciso que você faça um planejamento tributário baseado na expectativa ou na projeção do seu faturamento. Essa tarefa deve ser a primeira a ser realizada, caso você ainda esteja se instalando e ainda não tenha exercido sua atividade advocatícia.

Agora, para escritórios que já estão em atividade, o planejamento tributário deve ser realizado a qualquer momento, principalmente quando analisado o índice de alíquotas pagas relativas ao seu faturamento.

Assim, o planejamento tributário para escritórios de advocacia tem como objetivo uma considerável redução de impostos, já que estes representam uma boa parcela dos custos empresariais.

2 – A escolha do regime de tributação a ser implementado

Muitos advogados, principalmente os que acabaram de abrir um escritório de advocacia, ficam em dúvida sobre qual seria o melhor regime de tributação a ser adotado.

Pois, saiba que uma escolha mal pensada do modelo a ser implementado compromete a saúde financeira do seu negócio, o que resulta em um encargo de impostos maior que o necessário.

Por isso, é extremamente importante que você avalie qual enquadramento fiscal é o ideal para o seu escritório de advocacia – Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional.

Muitos advogados pagam mais impostos do que deveriam por conta da ausência de uma gestão interna eficiente que seja capaz de gerar dados e informações confiáveis para uma observação mais criteriosa do modelo tributário adequado.

3 – Considere repensar a estrutura empresarial

Em muitos casos, é mais viável que mais advogados se juntem para trabalhar em uma mesma estrutura física. Essa tática será um diferencial na hora de reduzir os impostos pagos pelo escritório.

4 – Analise as alíquotas a pagar

Esta é mais uma das excelentes dicas para advogados pagarem menos impostos – checar se você não está pagando alíquotas a mais do que a legislação exige sobre um produto ou serviço.

Sendo assim, busque soluções seguras para saber identificar quais alíquotas você está pagando que poderiam ser reduzidas.

Vale destacar que contar com a ajuda de uma contabilidade para advogados é o modo mais eficiente para analisar todas as ações referentes à redução de impostos e de contribuir para a evolução do seu negócio.

E essas foram as dicas para advogados pagarem menos impostos!

Precisa de ajuda? Entre em contato conosco clicando aqui.

Veja mais conteúdos:

Por que minha empresa não cresce? Conheça 3 motivos principais

Por que minha empresa não cresce? Conheça 3 motivos principais

Todo empreendedor já experimentou a sensação de não saber para onde a empresa está indo, de que tudo está fora de controle, estagnou e não há muito o que fazer para sair dali. Em geral, assim que essa fase chega, a primeira reação é sempre apontar os culpados mais comuns: a economia, os clientes, a equipe, a maré baixa, ou qualquer outro fator externo. Grande parte desses empreendedores não acredita no processo de crescimento de uma empresa.

Entenda o que é BPO (Business Process Outsourcing)

Entenda o que é BPO (Business Process Outsourcing)

Assim que uma empresa cresce, surgem novas preocupações e demandas. Logo as novas dimensões começam a exigir novos profissionais, como contadores, gerentes financeiros, diretores de marketing, dentre outros. Ou ainda, o crescimento da carteira de clientes significa novos desafios e novas exigências de especialização. O problema, naturalmente, é que trazer mais pessoas significa mais contratos e mais tempo gasto em processos seletivos. Foi para resolver problemas desse tipo que nasceu o chamado BPO (Business Process Outsourcing)

Aprenda a gerar vendas recorrentes para sua loja

Aprenda a gerar vendas recorrentes para sua loja

Para fazer vendas recorrentes, contudo, não é necessário que você tenha um serviço de assinaturas. Há diversas formas de assegurar vendas recorrentes utilizando de algumas estratégias para fazer com que o seu cliente retorne a sua loja diversas vezes e por diferentes motivos. Sabe aquela estratégia do mecânico que oferece uma manutenção e troca de óleo por um valor baixo, mas quando você faz o serviço, ele dá uma olhada no seu carro e fala: “olha, já que nós fizemos a manutenção, seria importante também a gente trocar uma peça X ou Y”. Ali, pode até ser que o mecânico não saiba, mas ele acaba de criar uma pequena recorrência.

Ter uma Visão Clara e um Plano de Negócios muito bem estruturado são os primeiros passos rumo ao sucesso do seu Escritório de Advocacia

Em nosso artigoAs 10 maiores dúvidas sobre contabilidade para advogados, ressaltamos o quanto tem aumentado a oferta de serviços de Contabilidade para Advogados. Falamos também sobre a grande variedade de preços cobrados por empresas contábeis para abrir e cuidar da contabilidade de escritórios de advocacia e, com muito cuidado e carinho, respondemos sete perguntas sobre contabilidade para advogados e as vantagens obtidas ao abrir um CNPJ e exercer a prática do direito.

No entanto, por termos nos especializado em contabilidade para advogados e termos muitos clientes no segmento, entendemos que as dúvidas do empreendedor do direito vão muito além da contabilidade. Conversamos com advogados todos os dias e, através disso, identificamos várias lacunas que existem entre a decisão de se tornar um advogado e a abertura de um escritório formal. Adoramos preencher esses vazios entre o que os advogados aprendem na faculdade de direito e o que eles precisam saber no mundo real sobre como abrir e administrar um escritório de advocacia. Especificamente, quando os mesmos decidem gerir um escritório de advocacia como um negócio lucrativo.

Mas o que causa essas lacunas na compreensão do profissional do direito em relação ao empreendedorismo, através do exercício de sua profissão?   

Francamente, as faculdades de direito têm sido um pouco lentas em entender que há uma grande diferença entre simplesmente administrar um escritório de advocacia e administrar um negócio na área do direito. Esta é uma questão importante para os seus graduados, especialmente aqueles que não querem se tornar funcionários públicos, promotores, procuradores, desembargadores ou Juízes, mas decidem empreender por conta própria.

Felizmente, muitas instituições estão reconhecendo isso e oferecendo cursos de pós-graduação e MBA em gestão de escritórios de advocacia e ensinando os conceitos básicos de demonstrações de lucros e perdas, avaliação de clientes, marketing e outros aspectos de como crescer e gerir um negócio.

Mas isso não é uma prática generalizada, e ainda há milhares de advogados – novos e estabelecidos – que são ótimos na prática do direito, mas não tão bons em fazer o que é preciso para gerenciar com sucesso seu próprio escritório de advocacia.

Embora não seja uma ciência exata e instantânea, dominar os lados gerencial e  comercial de um escritório de advocacia requer disciplina, uma mudança na maneira como você vê e opera seu negócio.

Mais especificamente, é preciso olhar para além das operações do dia a dia e das questões administrativas que abatem até mesmo os advogados mais bem intencionados.  É preciso ampliar a visão geral sobre si mesmo como advogado e encarar o seu escritório como uma oportunidade de negócios muito lucrativa. Este é o mais importante e poderoso primeiro passo que você pode dar na construção do escritório de advocacia de seus sonhos.

Desenvolvendo uma visão para o seu escritório de advocacia

Ao observarmos grandes empresas como, Apple, Samsung, Google, Microsoft e uma série de empresas de grande sucesso, empresas das quais utilizamos seus produtos e serviços diariamente, percebemos que, a única coisa que elas têm em comum é o fato de que todas têm uma visão clara sobre seus negócios.

Elas sabem exatamente o que é o negócio, sabem onde querem chegar, e sabem como chegarão ao destino traçado.

Como especialistas em contabilidade para advocacia, uma das primeiras perguntas que fazemos aos advogados que nos procuram para cuidar da abertura e gestão contábil de seus escritórios é: “Qual a sua visão para o seu escritório de advocacia como negócio?”.

Infelizmente, a maioria deles não tem uma resposta!

Na verdade, pouquíssimos advogados até hoje nos deram algum tipo de resposta concreta sobre o assunto. Eles simplesmente querem abrir um escritório de advocacia, conquistar novos clientes, cuidar de suas causas e ganhar algum dinheiro, e só.

Infelizmente, a frase “Se você começar certo, os clientes virão, pois eles precisam de você como advogado” é coisa do passado. Porém, a crescente concorrência no segmento de advocacia, as ferramentas digitais disponíveis, e os advogados mais experientes e muito bem estabelecidos em seus mercados, juntamente com clientes mais exigentes e muito bem instruídos – devido à imensidão de informações disponíveis – mostra, a cada dia, que cada cliente deve ser tratado como ouro. E como tal, deve ser muito bem cuidado para que seu escritório seja um verdadeiro sucesso.

Sua Visão é a base para o Plano de Negócios do seu Escritório de Advocacia

As empresas mais bem sucedidas têm um roteiro a seguir quando tomam decisões empresariais, quando planejam crescimento, quando contratam, quando criam uma grande experiência dos clientes e quando identificam novas oportunidades. Elas têm uma visão quando determinam a melhor maneira de investir recursos para beneficiar o negócio e seus clientes, e muito mais. E para se abrir um escritório de advocacia não é diferente.

Esse roteiro é chamado de plano de negócios. E todo plano de negócios bem sucedido para um escritório de advocacia começa com uma visão clara sobre o negócio.

O que é preciso para criar um Plano de Negócios bem estruturado do seu escritório?

Passo 1 – aonde você quer chegar?

Feche seus olhos por apenas um momento e pense em onde seu escritório poderá chegar. O que poderá se tornar? O que será quando estiver muito bem estabelecido e em franco crescimento? Imagine todas as possibilidades do quão grande você quer ser e as áreas do direito que você deseja oferecer aos seus clientes, quantos parceiros você pretende ter, o perfil do cliente ideal que você deseja atender, e assim por diante.

Passo 2 – como você chegará lá?

Pense nas etapas que você precisará concluir, uma a uma, para chegar ao destino traçado. Que tipo de treinamento ou especialização adicional você poderia adquirir ou agregar? Que tipo de oportunidades e possibilidades você precisa criar? Em que local você precisa estar? Que áreas do direito você precisa adicionar ao seu escritório?

Passo 3 – Quem irá ajudá-lo a chegar lá?

Parafraseando um velho ditado, “Nenhum advogado é uma ilha.” Quem você conhece – direta ou indiretamente – que poderia ajudá-lo a atingir seus objetivos?

Pense em mentores, agregados, contratados, contadores, investidores, consultores de marketing – todos que possam contribuir para o seu sucesso como advogado.

Você pretende ter outros advogados como sócios ou pretende atuar sozinho? Você considera também as oportunidades que surgem no networking entre o seu e outros escritórios de advocacia e até mesmo empresas especializadas – como empresas de contabilidade – que são, muitas vezes, fontes inexploradas de referências para clientes fora de suas áreas de especialização?

Passo 4 – Como você medirá seu sucesso?

O sucesso para empreendedores pode significar coisas e critérios totalmente diferentes.

O sucesso, para você, pode significar manter seus clientes felizes e satisfeitos, para que os mesmos lhe tragam muitas referências. O sucesso pode significar que você, além de gerir bem seu escritório, ainda conseguirá manter um tempo de qualidade para conviver com sua família. Pode ser que você tenha fluxos de renda alternativos e então consiga praticar a lei com mais tranquilidade, pois conseguirá se manter financeiramente, com dinheiro vindo de outras fontes.

Defina sua própria versão do sucesso e, depois, descubra como você irá medi-lo.

Passo 5 – Onde você está hoje, em relação aos seus objetivos?

Onde é que você está localizado – em relação aos seus objetivos – neste momento no tempo?

Não importa se você é um profissional do direito há um mês, 10 ou 20 anos. Se você não tem um plano de negócios, este é exatamente o momento certo para começar a trabalhar nisso.

Afirmamos que o plano de negócios irá fornecer a você todas as orientações necessárias para que consiga gerir seu escritório de advocacia e tomar as decisões mais assertivas em relação ao futuro do mesmo.

Em cada decisão, pergunte-se: “Isso está me levando em direção aos meus objetivos ou para longe deles”?

Essa pergunta simples deve ajudar a tornar o processo decisório muito mais fácil – e mais impactante.

Conclusão

E finalmente, ter uma visão clara e um plano de negócios muito bem estruturado é o que fará total diferença entre o sucesso e o fracasso do seu empreendimento. Muitos de seus concorrentes legais não têm nenhum e nem outro, isto é, nem visão e nem um plano de negócios e apenas estão sobrevivendo neste mercado tão concorrido. O desenvolvimento de ambos – se você aderir a eles fielmente – o colocará acima da concorrência e o manterá no caminho para o sucesso a longo prazo.

A Conta Junto é uma empresa de contabilidade em Sumaré – SP, na região metropolitana de Campinas. Somos especializados em contabilidade para advogados, atendemos todo o Estado de São Paulo e podemos agregar muito ao seu empreendimento na área do direito. Portanto, se estiver precisando de auxílio para abrir um escritório de advocacia, entre em contato conosco. Podemos trilhar, juntos, uma jornada empreendedora de muito sucesso nos negócios!

Estamos esperando por você.

Até breve!