Dor de cabeça com o sócio? Descubra como evitar

Uma das perguntas que mais chega até nós e que as pessoas mais pedem conselhos é, como lidar com sócio(s)? Como evitar a dor de cabeça? Há quem defenda que simplesmente não dá certo. Para essas pessoas, a única forma de empreender e construir uma empresa é sozinho, sem qualquer ajuda. E que ter outro para dividir as decisões pode custar muito mais caro.

Mas as coisas não são assim tão simples. É muito bom poder contar com alguém que nos ajude na caminhada dificílima que é empreender. Poder dividir o fardo do dia a dia com alguém que entenda nossas aspirações e que tenha os mesmo interesses é algo indispensável. Contudo, todo empreendedor também sabe que essa relação pode acabar gerando mais dores de cabeça do que apoio e compreensão.

Confere abaixo os princípios essenciais para um bom relacionamento com sócio, todos se baseiam em uma única habilidade: saber se comunicar:

Comunique sua visão, seus valores e propósitos

Sabe quando você tem aquele sócio que simplesmente não se aplica tanto quanto você? Aquele que não tem as mesmas aspirações e não olha para a empresa da mesma forma?

Esse é um dos pilares centrais de toda relação entre sócios: compartilhar valores, visão e propósitos. Se você enxerga um certo caminho para sua empresa, mas seu sócio não, isso certamente arruinará toda a relação entre vocês dois. Não que isso seja algo pessoal, mas o fato é que se as visões conflitam, as ações conflitam.

Por essa razão, o primeiro passo para um bom relacionamento com um sócio é dizer com todas as letras onde você espera chegar, qual a sua visão da empresa daqui a 5 ou 10 anos e o que você está disposto a fazer para chegar lá. Se a pessoa não partilha da sua visão e ambição, então ela não serve para estar ao seu lado. Repito: isso não é algo pessoal. O problema é que qualquer decisão sua de continuar o empreendimento ao lado dela apenas gerará conflito e ressentimento. Por fim, boas amizades podem acabar simplesmente porque ninguém resolveu comunicar o que realmente pensa.

Tenha um acordo estabelecido

Sim. Estabeleça um acordo com o seu sócio. Mesmo que seja algo meramente verbal, mas deixe claro para ambos quais serão os deveres e obrigações de cada um dentro da empresa. Ter isso em pratos limpos e acordado diminuirá bastante os eventuais conflitos e dores de cabeça.

Resolva os conflitos imediatamente.

Esse é um dos princípios centrais de RH e de qualquer empresa de resolução de conflitos: resolva os conflitos e desavenças imediatamente. A razão disso é evitar que você alimente ressentimento e rancor em relação ao seu sócio. Resolver os conflitos e problemas imediatamente faz com que se evite a famosa “bola de neve de sentimentos”.

Enquanto você evitar essa bola de neve, sua relação será sempre harmoniosa. Os problemas se tornam maiores apenas porque permitimos que eles tomem grandes proporções. Portanto, aprenda a ter iniciativa e a cortar o mal pela raiz. Se algo o incomoda, vá lá e fale. Da maneira correta, é claro.

Comunique-se.

A fonte principal de toda briga entre sócios é apenas uma: comunicação. Um toma uma decisão e o outro não gosta. Um se reúne com um cliente quando o outro não queria. Um contrata um pessoa que o outro não contrataria. Todos os conflitos acabam sendo iguais. Alguém se sente lesado porque uma decisão foi tomada sem a sua anuência.

A solução para tudo isso é clichê, mas funciona. Comunicar ao seu sócio suas decisões com certeza diminuirá os conflitos. Mesmo quando não for comunicado, explicar porque agiu de tal modo, ou deixar claro quais suas intenções, ajudará no processo de entendimento entre ambos. Jamais esqueça que uma sociedade é um casamento. De um outro tipo, mas é.

Quer dicas sobre o andamento da sua empresa? Clique aqui e entre em contato conosco.