Contabilidade para E-commerce: Como funciona?

Contabilidade para E-commerce: Como funciona?” é o tema que será abordado hoje.

E para começar a falar sobre contabilidade de forma mais profunda vamos primeiro explicar um pouco sobre o que é um e-commerce e sua dinâmica de funcionamento.

Contabilidade para E-commerce: Como funciona?

O que é um E-commerce?

Um e-commerce é um negócio online, uma marca que vende produtos ou serviços pela internet, que pode ser ou não 100% online. Sua loja pode existir fisicamente e ter um site, por exemplo, que é um e-commerce.

Administrar uma loja online e fazer sua contabilidade não é muito diferente de qualquer outro negócio. Mesmo que você não tenha muita experiência no online, mas já faça a contabilidade de um negócio físico, muitas coisas não irão mudar aqui.

Mas claro, existem algumas pequenas diferenças e detalhes que você precisa estar atento na hora de montar seu e-commerce. Detalhes que farão toda a diferença, desde um melhor gerenciamento do capital, até em cuidados legais, para você estar sempre dentro da lei.

Se esse é um dos seus primeiros passos no universo online dos e-commerce, você encontrou o blog certo. Aqui vamos dar algumas dicas importantes para você que está começando sua loja online, para que seu faturamento decole, seus prejuízos sumam e seu negócio seja só sucesso.

Como regularizar um e-commerce

Como regularizar um e-commerce

Esse é o primeiro de todos os passos, se você quer fazer a contabilidade para seu e-commerce e saber como funciona, comece regularizando seu negócio. Só assim você poderá continuar investindo com segurança.

O fato do negócio ser ou não 100% digital, não tira dele suas obrigações com a justiça. Mas fique tranquilo que é muito mais fácil de se resolver, e hoje em dia você resolve tudo de forma online também.

Para começar a regularizar seu e-commerce o empreendedor deve abrir um certificado de empresa, fazendo o registro do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), que pode ser feito na prefeitura da sua cidade ou na Junta Comercial mais próxima.

Claro que não necessariamente você precisa de um CNPJ, mas fazer vendas com um CPF comum apresenta enormes desvantagens, e o custo de abertura para um cadastro de pessoa jurídica é baixo e vale a pena, será um dos melhores investimentos para o seu e-commerce.

Benefícios de ter um CNPJ para o E-commerce

●      Conseguir um melhor acesso a financiamentos e empréstimos,  com diferenças nas quantias que podem ser recebidas e nas taxas de juros.

●      Emitir notas fiscais, vantagem primordial para se efetuar qualquer tipo de venda em escala.

●      Comprar no atacado, tendo um CNPJ você tem mais facilidade na hora de comprar direto com o fornecedor, com melhores preços, margens de lucro, prazos e volume que pode ser comprado.

Esses são só alguns dos benefícios que ter um CNPJ pode trazer para seu e-commerce. Mas não para por aí, junto do seu cadastro como pessoa jurídica, você precisa também escolher o regime tributário que mais se enquadra com sua marca.

Ele pode variar pela quantidade de vendas feitas por ano, pela margem de lucro também por ano ou pela quantidade de funcionários ativos vinculados com a empresa.

Lembre-se, que você pode sim conseguir fazer todo esse processo sozinho, somente fazendo análises e estudos, porém você também pode optar por chamar um contador para te ajudar nessa e em outras etapas.

Ter uma pessoa experiente e profissional da área pode ser uma boa opção se você não quer ter esses trabalhos para si e está disposto a pagar pelo serviço.

Como escolher o regime tributário para um e-commerce

Essa é mais uma parte importante sobre contabilidade para e-commerce e como funciona. Na hora de abrir o CNPJ para sua marca, você precisa escolher o regime tributário que irá ser usado para fazer o cálculo dos impostos que você terá de pagar.

Existem atualmente 4 tipos de tributações para 4 tipos de cadastros de CNPJ, sendo eles: MEI, Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.

Cada um tem um foco e exigências diferentes, cada um tem suas limitações que vamos listar aqui para te ajudar a decidir qual o melhor para seu e-commerce e fazer uma melhor contabilidade para ele.

MEI (Microempreendedor Individual)

Esse é o primeiro e mais voltado para as menores empresas. Com o MEI você já tem muitas vantagens em comparação com um CPF, mas também é o mais limitado dos 4 modelos.

Esse modelo de tributação é para as empresas que têm um faturamento mensal de até R$ 81 mil reais por mês.  Porém o proprietário desse CNPJ não pode estar vinculado como dono ou sócio de nenhum outro empreendimento.

Esse modelo é o mais usado por autônomos e empresas em estágio inicial, ou com baixo faturamento mensal. Esse modelo é também o com menores valores de tributação e tem algumas “regalias” como a não obrigatoriedade da emissão de notas fiscais em suas vendas.

Isso faz com que o portador do MEI pague ainda menos impostos, e continue trabalhando de forma legal e tenha seus direitos a INSS e Imposto de Renda garantidos.

Você pode saber mais sobre e registrar seu MEI no Portal do Empreendedor e em seguida já registrar seu CNPJ na prefeitura da sua cidade.

Simples Nacional

Esse é o segundo modelo por ordem crescente de faturamento e valores. O Simples Nacional é um modelo criado para empreendimentos que já faturam até R$ 48 milhões de reais por ano.

Essa tributação, diferente do MEI que tem uma taxa fixa, é calculada levando em conta o faturamento da sua empresa nos últimos 12 meses. Sendo assim, na medida que seu negócio crescer, e você fatura mais, seu valor de imposto também sobe.

O valor da tributação é a soma de vários impostos e fica entre 4,5% e 17%. São eles:

–         INSS (Previdência)

–         ICMS estadual e ISS municipal

–         PIS e COFINS

–         IPI, CSLL e IRPJ todos federais

Esse modelo é o mais usado nos médios negócios e empresas que possuem mais de 1 funcionário.

Lucro Presumido e Lucro Real

O Lucro Presumido é o modelo de negócio que mais tem adeptos no país, todos seus impostos já tem uma alíquota definida pela receita federal e por isso é o mais simples dos modelos.

As empresas que optam por esse modelo têm limite anual de faturamento de R$ 78 milhões de reais.

Já o Lucro Real é o mais complexo dos modelos e é usado pelas grandes empresas, provavelmente se você está aqui nesse modelo, a contabilidade do seu e-commerce já está organizada, ou deveria. Já que o faturamento para esse tipo de imposto fica para quem ganha acima dos R$ 78 milhões de reais.

Então se você está começando por agora, provavelmente seus modelos tributários serão o Simples Nacional ou o MEI, os dois são os mais usados atualmente para e-commerces de pequeno e médio tamanho.

Pesquise um pouco mais sobre cada modelo, e acesse o site do Portal do Empreendedor antes de se decidir por um modelo tributário. Leve em consideração não só o faturamento atual, como também a perspectiva de crescimento para os próximos meses e anos.

Após todo esse processo feito e sua empresa trabalhando já de forma legal, vamos dar mais uma dicas de organização das contas para te ajudar a entender como funciona a contabilidade para seu e-commerce.

Como escolher o regime tributário para um e-commerce

Passos importantes para ter um E-Commerce de sucesso

Aqui vamos mencionar algumas coisas que você deve ter em mente quando começar a montar um projeto contábil para seu empreendimento.

Conheça seu negócio

Não é bobo falar que pra começar a contabilidade, você precisa conhecer sua marca, seu e-commerce. Saber quais frentes atuantes, os processos e etapas da produção até a entrega, conhecer seu site ou portal de vendas online.

Mesmo que você não cuide dessa área na sua empresa, é importante entender de onde vem o dinheiro, quais os produtos ou serviços mais oferecidos e procurados.

Organize despesas e seja organizado

Tenha tudo anotado, de preferência em planilhas ou sistemas próprios, o caderninho deve ser evitado aqui, tudo o que entra e sai, cada centavo investido, recebido e desperdiçado que você teve.

Faça balanços mensais, semestrais e anuais, sempre com novas metas de redução de custos, aumento da margem de lucro e do número de vendas e de um melhor atendimento online. Isso leva em consideração a otimização e organização do seu site ou portal de vendas.

Contrate profissionais contábeis

Falamos lá atrás sobre isso e voltamos aqui para ressaltar que a medida que você cresceu, ter pessoas profissionais atuando na frente da contabilidade da sua empresa será de muita importância.

Mas mesmo quando você precisar contratar um contador por exemplo, acompanhe de perto todo o desenvolvimento do seu e-commerce. Isso te fará tomar melhores decisões para onde levar seu projeto.

Saiba lidar com anúncios e programação

Não necessariamente você precisa ser um expert na área ou investir muito dinheiro nisso. Mas ter um negócio online requer alguns cuidados, se você tem um site por exemplo, ou um app, é bom estar por dentro de como funciona a programação desses sistemas, para manter eles atualizados sempre.

Se você usa as redes sociais, é sempre bom ter um social media bem feito e bons publicitários trabalhando nele.

Incluir os ADS (anúncios online) como o do Google, YouTube e Instagram nos seus gastos mensais é uma tarefa primordial para crescer seu e-commerce no universo online.

Conclusão

Bem, essas são algumas dicas para que você tenha sucesso com seu e-commerce e entenda como a contabilidade para e-commerce funciona. Espero que esse artigo tenha te ajudado a responder algumas dúvidas na hora de abrir seu novo negócio online ou de regularizar as tributações e contabilidade dele.

Lembre-se de fazer um check-up diário nas contas do seu e-commerce e balanços mensais. Isso irá te ajudar a descobrir onde seu negócio precisa de mais atenção, tempo e dinheiro investidos.

Caso precise de uma contabilidade ou quer entender mais a fundo sobre como a contabilidade pode te ajudar, recomendo que agende um diagnóstico com nosso contador, clique aqui e agende, é 100% gratuito.

Ainda tem dúvidas? Assista a este vídeo:

Veja mais artigos do nosso blog:

Contabilidade para profissionais da saúde

Contabilidade para profissionais da saúde

A contabilidade é um dos setores que mais auxiliam um profissional da saúde a abrir sua clínica. A área da saúde possui uma importância muito grande e os serviços oferecidos por ela são essenciais. Por esse motivo, quando um profissional da área da saúde enfim se forma, ele passa a ter diversas opções para trabalhar. Uma das melhores maneiras é por meio da abertura de uma empresa na área.

Como abrir uma clínica de radiologia

Como abrir uma clínica de radiologia

Você com certeza já foi a uma clínica de radiologia, não é? Mas já lhe ocorreu abrir uma? Empreender nessa área pode ser bem lucrativo. Isso se deve a um bom potencial para se explorar no mercado. São exames úteis para diagnosticar eventuais doenças, principalmente na odontologia.

Contabilidade para clínica veterinária

Contabilidade para clínica veterinária

Saiba tudo sobre a contabilidade para clínica veterinária. Um dos setores que mais estão crescendo é o setor veterinário. Pois, assim como a saúde humana, a saúde de nossos amigos de 4 patas se tornou importante também. Por esse motivo, muitos estão abrindo clínicas veterinárias para prestar esse suporte aos animais.