Vale a pena contratar um familiar?

Esta é a dúvida número um de quase todo empreendedor. Seja no início da empresa, ou até mesmo quando a empresa começa a crescer e é possível trazer novos funcionários, há sempre a dúvida em saber se vale a pena ou não confiar e contratar familiares. Em todo empreendedor há sempre o receio de que, em algum momento, aquele parente confundirá o pessoal e o profissional, e as coisas começarão a dar errado.

            É por essa razão que a grande parcela dos empreendedores dirão que simplesmente não vale a pena, pois, invariavelmente, em algum momento aquele parente acreditará que tem uma maior liberdade dentro da empresa. E assim que ele acreditar nessa liberdade, começará a agir da maneira que achar melhor.

            Talvez seja verdade que contratar um familiar signifique a garantia de uma futura dor de cabeça. Porém, se essa é a regra, também é igualmente importante saber reconhecer as exceções. E com certeza elas existem.

            As regras para saber se um familiar lhe dará algum trabalho são as mesmas para saber reconhecer um funcionário ruim. Se você não sabe o que fazer para evitar um mau funcionário, vale a pena ver este artigo.

Não saber distinguir o pessoal do profissional

            A primeira característica que permite reconhecer um parente que não vale a pena contratar é não saber distinguir o pessoal do profissional. Sabe aquele parente que faz comentários inapropriados sobre sua vida pessoal na frente dos seus funcionários? Aquele que diz coisas como “ei, fulano, lembra daquele dia que fomos no lugar tal e você fez aquela coisa que todo mundo achou engraçado?” Aqui não me refiro a qualquer comentário, é claro, mas àqueles que atacam a sua autoridade na frente dos funcionários.

            Parentes assim são certamente pessoas que não valem a pena ter na sua empresa. Pode até ser que seus comentários não sejam maldosos, mas se a pessoa traz situações da sua vida pessoal para dentro da empresa, isso já é indicativo suficiente para que ela não saiba diferenciar o pessoal do profissional.

Aquele parente que acredita que você tem alguma obrigação com ele

Uma segunda característica para reconhecer um parente que trará dor de cabeça para sua empresa é aquele parente que acredita que você tem alguma obrigação com ele. Sabe aquela pessoa que fala coisas como “olha, fulano, você já ganha tanto aí na sua empresa, por que não pode me ajudar com valor X?” Esse é claramente um tipo de pessoa que você deve evitar trazer para sua empresa, seja ela parente ou não. Pessoas assim sempre acreditarão que você deve alguma coisa a elas, e assim que elas perceberem seu sucesso, sua dívida com elas aumenta ainda mais.

Histórico prévio

            Uma terceira característica que também não pode ser ignorada é o histórico prévio daquela pessoa. Todos temos aqueles parentes que estão sempre pulando de um emprego a outro e sempre botam a culpa no empregador. São pessoas que nunca buscam qualquer evolução, mas nunca param em um emprego porque o chefe era isso ou aquilo.

            É nesse ponto que muitos donos de empresa erram. Eles sabem do histórico daquela pessoa, sabem como será o comportamento dela dentro da empresa. Contudo, ainda assim preferem dar uma chance e apostar que dessa vez ela fará diferente. Não há problema em acreditar nas pessoas, é claro. Porém, vale sempre pensar: você daria essa mesma chance se aquela pessoa fosse qualquer outro candidato a um emprego e não um parente seu?

            Se você se sente compelido a oferecer aquela vaga simplesmente porque aquela pessoa é um familiar seu, então agora é você quem está confundindo o profissional e o pessoal. Lembre-se que antes de contratar aquela pessoa é necessário ponderar sobre qual a função daquela pessoa dentro da empresa, quais os seus deveres e obrigações. Contratar por contratar, sejam que for, nunca é o mais inteligente a fazer.

            Considerar cada uma dessas características certamente o ajudará a saber se é um boa ideia contratar aquele parente ou não. Se você está em dúvidas se aquele parente é uma exceção à regra, poderá buscar esses indicativos e ter algum auxílio na sua decisão.

Gostou deste texto? Confira também este vídeo:

Chamar no WhatsApp