Fluxo de caixa ou capital de giro? Você sabe a diferença?

O que é fluxo de caixa

O fluxo financeiro de uma empresa jamais se resume ao que entra e o que sai de seu caixa. Essa é uma conta simples demais para algo complexo como o funcionamento de um negócio. As vendas podem ser altas, mas o recebimento pode demorar a chegar, por conta da venda a prazo, e uma dívida pode representar um investimento que, lá na frente, vai trazer mais oportunidades de negócio.

Cuidar do fluxo de caixa e do capital de giro, neste sentido, é fundamental para a saúde do seu empreendimento. Mas o que é exatamente fluxo de caixa e capital de giro? Qual a diferença entre um e o outro? Por que tantos empreendedores se confundem com esses dois conceitos contábeis e, muitas vezes, acabam por cometer erros básicos que atrapalham o próprio negócio?

Continue lendo esse conteúdo especialmente produzido por nossos especialistas e entenda de vez o tema fluxo de caixa ou capital de giro? Você sabe a diferença?

Para que serve e qual é a importância do fluxo de caixa

É por meio da análise do fluxo de caixa que o empreendedor pode ver, de fato, se o seu negócio está mesmo dando lucro em um determinado período estabelecido por ele. Por si só, essa função explica a importância que o fluxo de caixa tem para uma empresa, tornando-se, obviamente, uma ferramenta indispensável.

Mas sua importância vai ainda além disso. O fluxo de caixa acaba por funcionar como um verdadeiro raio-x, possibilitando ao empresário enxergar como verdadeiramente anda a saúde financeira da sua empresa. Esta ferramenta permite entender como está o fluxo financeiro, o que acaba se transformando em um excelente ponto de partida para a tomada de decisões gerenciais.

Vamos dar um exemplo para que você entenda perfeitamente essa função. Imagine que o número de vendas de um determinado mês efetivamente tenha sido um recorde na empresa, mas ainda assim não há dinheiro em caixa. Como isso é possível? Olhando o fluxo de caixa, o empresário verá que a maior parte das vendas foi feita em cartão de crédito, com parcelamento do pagamento em até, digamos, dez vezes. Assim, o fluxo de caixa explica porque o recorde nas vendas não se traduziu em dinheiro na conta!

É por meio dele que você poderá vigiar muito de perto todas as entradas e saídas de dinheiro do seu negócio. O fluxo de caixa é um diário da vida financeira da empresa, portanto o seu controle é necessário para que você saiba se há recursos em caixa e qual é a liquidez da empresa em um determinado momento, o que é fundamental para a tomada de decisões. Se você pensa em fazer uma expansão ou até mesmo aproveitar uma promoção do seu fornecedor para aumentar o estoque de produtos que vende, a consulta ao fluxo de caixa é primordial e indispensável.

Como calcular o fluxo de caixa da sua empresa

Você já sabe que o fluxo de caixa da empresa engloba todas as movimentações financeiras do negócio, divididas entre pagamentos que foram e serão feitos e recebimentos com as vendas (a prazo ou não) dos produtos ou serviços que o negócio oferece ao mercado. Para calculá-lo, é absolutamente fundamental que nada, absolutamente nada, fique de fora. Sequer o dinheiro gasto com pó de café deve ser esquecido, combinado?

O cálculo do fluxo de caixa começa pelo saldo inicial, isto é, quanto o empreendimento tem em caixa. Neste cálculo entra o dinheiro existente em todas as contas bancárias da empresa e, ainda, aquele dinheiro em espécie, guardado na gaveta trancada da escrivaninha, utilizado em pequeninas despesas diárias, como o pagamento de uma corrida de táxi, do pãozinho da tarde ou a compra de um produto de limpeza qualquer.

É a partir daí que todo fluxo financeiro é devidamente anotado. A partir das receitas e despesas geradas, calcula-se o saldo operacional da empresa. É uma conta muito simples de se fazer: basta subtrair o montante do que entrou pelo montante do que saiu. Uma boa dica é separar as entradas e saídas por categorias, como pagamento a fornecedores, salários de colaboradores, gastos administrativos, receitas a vista e a prazo, etc.

Sabemos que esse é um assunto muito importante para o bom funcionamento da sua empresa, por isso já publicamos um conteúdo específico sobre fluxo de caixa, que você pode acessar clicando aqui.  Lá você terá acesso a informações mais profundas sobre o tema, certo? Não deixe de ler esse conteúdo.

O que é capital de giro

Para abrir as portas, a sua empresa precisa de dinheiro, certo? Afinal, é preciso pagar o aluguel da sala, a conta da luz, o condomínio do prédio, os impostos, o salário dos colaboradores, os boletos dos fornecedores, material de escritório e limpeza e até mesmo o pó para o cafezinho da tarde, entre tantas outras despesas.

O capital de giro nada mais é do que a soma em dinheiro para que a empresa possa fazer todos esses pagamentos, em um determinado período. O nome já é autoexplicativo: é preciso ter dinheiro em caixa para fazer a empresa girar! Caso contrário, acumulará dívidas e entrará em colapso em um período bem curto, não é?

O capital de giro é o capital de trabalho, ou seja, o valor necessário para as operações da empresa. Com ele, sua empresa quita, como falamos, os custos com estoque, com fornecedores, impostos, salários e despesas administrativas, entre outras. O importante é que esse valor seja devidamente quantificado e disponibilizado para que se possa abrir as portas dia a dia, sem endividamento.

Para o que serve e qual a importância do capital de giro

A saúde financeira de uma empresa está diretamente ligada ao seu lucro. Se a empresa recebe mais do que gasta, está no azul, e quanto maior for esse resultado mais saudável financeiramente estará. Se o que entra não cobre o que é gasto, a empresa entrará no vermelho, e isso poderá ser até mesmo fatal para o negócio.

É importante pontuar que esta não é uma simples conta do que entra e do que sai, porque uma empresa pode tomar um financiamento para expandir seus negócios e, lá na frente, turbinar seu faturamento e seus resultados. A empresa também pode, em uma outra situação, ter um excelente resultado de vendas em um determinado mês, mas não ver imediatamente a cor do dinheiro por conta de uma maciça venda a prazo.

Portanto, contar efetivamente com um capital de giro para manter as contas do dia a dia é fundamental para a saúde de uma empresa. Uma pizzaria não pode deixar, por exemplo, de comprar muçarela e farinha de trigo, entre outras matérias primas, porque sem elas simplesmente não há pizza, e sem pizza não há vendas.

Sem o devido capital de giro, uma empresa precisará recorrer a um empréstimo para pagar todas as suas despesas cotidianas. Nunca é demais lembrar que esse empréstimo tem juros, e esses juros costumam ser caríssimos. Com o devido capital de giro em dia, as contas poderão se pagas em dia, sem necessidade de tomada de empréstimo. Contar com o capital de giro é ou não extremamente importante?

É preciso pontuar a importância de se contar com um capital de giro adequado e realista. Esse montante deve cobrir todas as despesas de um determinado período, portanto não pode ser subestimado e muito menos “chutado”. Calcular periodicamente o fluxo de caixa é muito importante para determinar o capital de giro necessário. Se a sua empresa optar por trabalhar com um capital de giro baixo, os riscos operacionais serão maiores, é bom deixar isso bem claro.

Como calcular o capital de giro da sua empresa

Você já sabe exatamente o que é e qual é a importância do capital de giro para a sua empresa, certo? Mas como calcular o capital de giro? Como fazê-lo corretamente? Não se preocupe, seu contador vai lhe dar todo o apoio nesta tarefa, mas é sempre bom entender um pouco mais dos assuntos contábeis para que você possa tirar um proveito ainda melhor deles.

Para fazer este cálculo, você precisa primeiro saber tudo o que você tem a receber, quais os gastos que fez e precisa fazer e os devidos prazos destas operações. Ou seja, para calcular o capital de giro da sua empresa você utiliza inicialmente as informações colhidas no fluxo de caixa. E sobre essa ferramenta contábil você já entende bem, não é mesmo?

O primeiro valor a ser anotado no cálculo do capital de giro é o das contas a receber. São as vendas a prazo que a sua empresa realizou. Esse número é muito importante, porque quanto maiores as vendas a prazo e, ainda, quanto mais alongados forem os prazos de recebimento, mais dinheiro a empresa precisará ter em caixa para se manter até que esse montante efetivamente entre em caixa.

O segundo valor que entra nesta conta é o estoque. Manter um estoque requer dinheiro, portanto é preciso dar atenção a esse número. A compra dos itens de estoque gera muitos compromissos financeiros a serem saldados, não é verdade? Também faz parte do cálculo do capital de giro o montante que a empresa possui em caixa, ou seja, em conta corrente.

Assim, a conta será: CGL = AC – PC.

Mas calma! Vamos lhe explicar exatamente o que é essa sopinha de letras. O Capital de Giro Líquido (CGL, a quantia ideal para uma empresa se manter no período) é igual ao Ativo Circulante (AC – dinheiro em caixa, em banco, aplicações financeiras, contas a receber e outros recursos) menos o Passivo Circulante (PC – empréstimos e todas as contas a pagar).

Não é difícil calcular o capital de giro, você concorda? Mas é preciso ter o controle total e transparente dos números da empresa para fazê-lo!

Qual é, então, a diferença entre fluxo de caixa e capital de giro

São conceitos distintos, porém interligados, daí a confusão que muitos empreendedores fazem com fluxo de caixa e capital de giro. O capital de giro, como você já aprendeu, é o dinheiro que a empresa precisa ter para saldar os compromissos do dia a dia, mantendo as portas abertas. E é este capital de giro vai sustentar o fluxo de caixa.

Vamos explicar tomando como base o fluxo de caixa, o que torna ainda mais fácil entender tal diferença. Essa é uma ferramenta que contabiliza tudo o que entra e o que sai da empresa. Pois é com o capital de giro disponível que você saldará todos esses compromissos definidos no fluxo de caixa. Bem simples, não?

Os dois conceitos se complementam, daí a confusão.

Conclusão

Você sabia que em cada dez empresas, seis fecham suas portas antes mesmo de completar quatro anos de atividades? Essa é uma estatística oficial, segundo pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o principal motivo para que isso aconteça é a desorganização financeira.

Manter o capital de giro e o fluxo de caixa em dia é fundamental para a saúde financeira de toda empresa, não importa seu ramo de atuação, tamanho ou faturamento. O caminho do sucesso passa necessariamente pela organização financeira, e disso não temos qualquer dúvida!

Conheça nossos serviços:

Contabilidade para MEI

Ganhe destaque com seu Microempreendimento por meio de um CNPJ. Evite dores de cabeça e contrate a nosssa contabilidade especializada para MEI. Estaremos lado a lado para ajudar no crescimento do seu negócio.

Saiba Mais

Contabilidade para Prestadores de Serviços

Você teve a oferta ideal para trabalhar naquela empresa que tanto queria. Mas te pedem abrir uma PJ e você não sabe por onde começar. Deixe a burocracia com a Conta Junto e usufrua do seu novo trabalho.

Saiba Mais

Contabilidade para Empresas de TI

Você respira tecnologia e sua contabilidade ainda é no papel? Aqui na Conta Junto somos especialistas em atender às demandas digitais. Foque apenas nos códigos e deixe a parte burocrática conosco.

Saiba Mais

Contabilidade para Advogados

Em muitos casos, é bem provável que o(a) Doutor(a) esteja pagando mais impostos do que deveria. Por isso é necessário ter uma contabilidade especializada no seu segmento. Nós da Conta Junto somos já ajudamos nossos clientes a economizarem até 83% com impostos.

Saiba Mais

Contabilidade para Produtores e Afiliados

Se preocupe apenas em alavancar ainda mais suas vendas e produzir conteúdos. A parte burocrática deixe com a gente.

Saiba Mais

Contabilidade para Médicos

Até quando ficará enviando planilhas e extratos para sua contabilidade? E até quando vai ocupar o tempo da sua secretária com a separação de papéis? Com a Conta Junto sua preocupação será com quem mais importa para seu negócio: Seus pacientes.

Saiba Mais

Veja mais conteúdos:

Aprenda a gerar vendas recorrentes para sua loja

Para fazer vendas recorrentes, contudo, não é necessário que você tenha um serviço de assinaturas. Há diversas formas de assegurar vendas recorrentes utilizando de algumas estratégias para fazer com que o seu cliente retorne a sua loja diversas vezes e por diferentes motivos. Sabe aquela estratégia do mecânico que oferece uma manutenção e troca de óleo por um valor baixo, mas quando você faz o serviço, ele dá uma olhada no seu carro e fala: “olha, já que nós fizemos a manutenção, seria importante também a gente trocar uma peça X ou Y”. Ali, pode até ser que o mecânico não saiba, mas ele acaba de criar uma pequena recorrência.

Continuar Lendo…
Como preparar sua empresa para os momentos difíceis

Jamais subestime os momentos de dificuldade que acontecerão para a sua empresa. É irresponsável tratar qualquer coisa na vida como se tudo fosse sempre dar certo, como se os tempos ruins jamais possam acontecer. Bons empresários são aqueles que sabem que a maré pode mudar, sabem que os tempos ruins podem chegar, e fazem o máximo para se preparar para eles.

Continuar Lendo…
3 técnicas simples para fidelizar o seu cliente

Muitos empresários erram em acreditar que o processo de fidelização de um cliente é um mero gasto adicional que atrapalhará as contas da empresa. Contudo, é sempre bom lembrar que a cada cliente, você ganhará pelos menos duas novas indicações. Não apenas isso, você conseguirá garantir a recorrência das vendas do seu produto. Enfim, o gasto de fato acontece no presente, mas você ganhará muito mais no futuro.

Continuar Lendo…